Black Atlass – Paris

Da paixão cansei-me – pode acolher tanta morte um corpo, esse mesmo que brilha à luz do desejo, esse mesmo que guarda a promessa da alegria.
A verdade gastou-se – isto é o mais fácil de compreender: a verdade gasta-se, quando chegamos ao lugar de a encontrar, sabemos por fim que não existe. Sobrou o que sou e o que não sou também, pelo meio a linha de uma estreita solidão, e é isto que te dou – isto o que te posso dar.
Só aqui, só agora, este sorriso de estar vivo, e por vezes o cansaço – que embora não pareça faz parte do sorriso..
E agora já me entendes?
E agora ainda me queres?
Jorge Roque

Anúncios

Um pensamento sobre “Black Atlass – Paris

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s