EMOCIONALMENTE FORTES

Há aspectos particulares da nossa força mental que são determinantes para termos ou não uma vida boa.  Existem vários níveis da nossa força mental e todos são necessários para termos sucesso e sermos felizes.  A que tem maior impacto é a força emocional.

As emoções fazem parte, claro, da nossa componente psíquica, no entanto distinguem-se das restantes qualidades mentais  porque influenciam directamente o corpo físico. Afectam a forma como o corpo funciona e determinam cada uma das nossas acções. Sem emoções, não teríamos razões para agir nem para fazer o que quer que seja por nós próprios.As emoções são as nossas maiores motivações. Infelizmente, conseguem motivar-nos para direcções por vezes não as melhores. Por esta razão, a força emocional é tão essencial. Há muitas situações que as pessoas emocionalmente fortes evitam. Veja estas 15:

  1. Não pedem atenção. 

Precisar de atenção está directamente ligado a emoções. Os que sentem necessidade de reconhecimento, apenas se sentem válidos quando os outros os fazem sentir necessários. É como se essas pessoas não estivessem seguras do seu valor. Sentir-se inseguro do seu valor é meio caminho para o não reconhecimento. Se não sentimos que somos importantes, os outros tambem não o vão sentir.

  1. Não permitem que os outros as rebaixem.

Força emocional requer resilência. O mundo está cheio de gente negativa, invejosa e ciumenta. Infelizmente muitas vezes os que nos rebaixam são os que estão mais perto de nós. A melhor solução é livrarmo-nos dessas pessoas, mas é também a mais dificil. Se conseguir remover essa gente da sua vida é menos um problema emocional.

  1. Não guardam rancores.

Se guarda rancor está a dar mais importâmcia do que devia a um assunto. Se uma pessoa pede desculpa genuinamente, perdoe de imediato. Se não pedir desculpa, não interaja mais com ela, mas não guarde rancor. Se continuar a dar-se com essa pessoa, vai fazer-lhe mais mal do que bem.

  1. Não param de fazer as suas coisas.

As pessoas emocionalmente fortes fazem o que fazem porque adoram fazê-lo. Não lhes passa pela cabeça abrandar ou parar por alguém que considera a sua felicidade inapropriada.

  1. Não deixam de acreditar em si próprias.

Os que gostam de si próprios, percebem-se a si próprios, não tem medo e tem orgulho de si próprios nunca duvidam deles próprios. Sabem quanto valem, nem um tostão a mais, nem a menos.

  1. Não são sacanas, nem idiotas.

Há pessoas más, sim, e perguntamo-nos porquê. Ser mau só serve como factor intimidante. Se quer intimidar, é preferível negociar. Se está a intimidar apenas por prazer, obviamente está a compensar uma falta de auto confiança.

  1. Sabem muito bem como não deixar os outros interferir na sua vida.

Os emocionalmente fortes são fortes por uma razão: Não se expoem a pessoas que destroem as suas defesas e esmagam a sua moral.  Muitas pessoas sentem-se perdidas e adoravam levá-lo com elas. Não deixe que lhe arruinem a felicidade.

  1. Não tem medo de amar.

Se tem medo de amar , não confia suficientemente em si próprio. Obviamente não deve manter um relacionamento condenado ao fracasso. E tambem não quer ser outra vez magoado, porque ser magoado não é agradável. Não há razão para ficar destroçado quando se tem confiança em si próprio. Se as coisas não dão certo, não é você, são os dois que não dão certo. A menos, claro, que seja uma pessoa horrível. Aí é mesmo você.

  1. Não ficam na cama, com medo de enfrentar o dia.

A melhor parte do dia devia ser quando acorda e realiza que está vivo. Tomamos a vida como garantida demasiadas vezes.

  1. Não tem medo de abrandar.

As pessoas emocionalmente fortes não sentem necessidade de acção e excitação constantes. Não precisam de passar o dia a correr a fim de evitar os seus demonios. Apreciam um momento tranquilo, porque os aproxima do sentimento de não fazer nada senão viver e respirar.

Não significa que não apreciam excitação na vida, mas não são aditos a ela. Ficam mais do que felizes em dar um simples passeio e cheirar flores.

  1. Não fazem coisas que não querem fazer.

Todos nós fazemos coisas que não adoramos, mas não deviamos fazer o que não queremos fazer. As pessoas emocionalmente fortes percebem isso e quase sempre arranjam forma de se focarem no que gostam de fazer e, por acrescimo, no que precisa de ser feito. Apesar de não apreciarem cada minuto do que estão a fazer, valorizam o que estão a fazer porque os aproxima mais do que reamente adoram fazer.

  1. Não tem problema em dizer “Não”.

Se não consegue dizer “não”, as pessoas vão abusar de si. Será visto como um tarefeiro e ninguém lhe vai perguntar a opinião ou sequer levá-lo a sério quando a der. Dizer “não” lembra às pessoas que não tem controlo sobre si.

  1. Não se esquecem de dar.

Nunca estamos demasiado ocupados ou demasiado pobres para doar tempo ou dinheiro. Muita gente opta por ignorar as suas responsabilidades como seres humanos. Quanto mais forte emocionalmente for, mais aprecia os outros e a vida em si. Valoriza mais a vida e começa a empatizar com os que tem pior sorte.

  1. Não sentem que precisam ser aceites.

Quanto mais forte emocionalmente for, mais independente fica. Não sente a necessidade de ser aceite, porque é aceite onde interessa ser: no Mundo. Pessoas de grupos socais pequenos são muitas vezes estranhas e pouco saudáveis. Querer ser aceite não é mais do que “Tenho medo de ser eu próprio”.

  1. Não esquecem que ser feliz é uma opção.

Muito importante: as pessoas emocionalmente fortes aprenderam a perceber o poder que o cérebro tem sobre a mente e o corpo. Percebem que as emoções são reacções, não reacções a causas físicas directas, mas à forma como percepcionam essas causas.  Por outras palavras, as nossas emoções não reflectem realidades, as nossas emoções reflectem a forma como interpretamos a realidade. Perceber isto dá-nos controlo quase absoluto das nossas emoções e portanto das nossas vidas.

Adaptado de 15 things emotionally strong people don’t do de Elite Daily

source

Anúncios

2 pensamentos sobre “EMOCIONALMENTE FORTES

  1. Bom, eu acho que os homens não têm hipótese de discutir emoções com as mulheres, pois estas são seres essencialmente emocionais, enquanto os homens colocam as deduções cerebrais acima das emoções (reacções sem análise das causas). Mesmo assim (em desvantagem  ), eu arrisco comentar essas situações. Começo por dizer que quando falamos de pessoas, falamos de homens e de mulheres, e que normalmente não estão nas mesmas condições socio/económicas e culturais para se poderem comparar.
    Se der um pontapé num cão, não se admire que esse cão um dia lhe morda, mas se lhe tivesse dado antes um naco de carne, poderia estar descansada que jamais lhe morderia.
    Os humanos têm reacções praticamente idênticas. Tudo começa na infância, na família, no tipo de família, se é filho único, se os irmãos são de idades chegadas, se os pais se amam ou se se dão mal, e da condição social e cultural dessa família. Depois passamos à escola, ao tipo de ensino que nos formata e finalmente às escolhas de cursos e/ou de profissões.
    Finalmente pertencemos a um povo e a um Pais, estando assim condicionados à partida pelas políticas dos nossos governantes. Tudo isto vai condicionar as tais emoções e até a nossa maneira de ser sobretudo se tivermos alguns conhecimentos para formarmos opiniões próprias a propósito de política ou de outras áreas sociais. Pertencemos a uma sociedade e não conseguiremos fugir à interactividade do dia-a-dia. Obviamente que nos poderemos isolar e viver até fora do mundo, mas na maior parte dos casos, isso daria em doença maníaco-depressiva, uma vez que os humanos são seres essencialmente sociais.
    Resumindo: eu acho que ninguém nasce mau, egoísta, mentiroso, aldrabão, ladrão, prepotente, ou emocionalmente forte, uma vez que todas essas características foram criadas e desenvolvidas segundo o que determinada pessoa viveu, ou seja, foi o meio social e as condições que o rodearam que fizeram o produto final.
    Um caso extremo e uma pergunta interessante: alguém nasceu assassino? Ou melhor, todos nós pacifistas e que nem sequer somos capazes de matar uma borboleta, poderíamos ou não matar em certas circunstâncias? Por exemplo, diante de um ataque ou de um crime cometido a um filho nosso?
    Conclusão: a Tessa expôs o assunto como uma mulher, isto é, tal e qual ele se apresenta, e sem querer ligar as causas e os efeitos que levaram a que essas pessoas sejam assim.
    Obviamente que quem é emocionalmente forte consegue superar muita coisa, mas por vezes precisa apenas de um abraço!
    Um abraço! 🙂
    Jorge

    Gostar

    • tudo isso é verdade Jorge. o que nos rodeia molda-nos, mas também é verdade que a parte genética tem “peso”…tenho inexperiência com gémeos, criados no mesmo ambiente, têm temperamentos, comportamentos e sensibilidades completamente diferentes, e isto notava-se desde pequeninos…um sempre foi mais “trapaceiro” e o outro mais crente, o que fez deles adultos diferentes…
      homens e mulheres completam-se pelas diferenças , mas prefiro mil vezes trabalhar com homens … as mulheres para mim são demasiado complicadas… nem sei como vocês as aturam 😀

      sei também que na minha adolescência éramos todos tão mais puros…menos revoltados, menos frustrados e muito mais respeitadores …. e mais interessados em tudo, a sede de saber, de conhecer estava sempre presente. queríamos mudar o mundo. que bom foi apanhar os anos 80 com irmãos que apanharam os anos 70 e esta mescla deixou-me tanta coisa boa….
      que bem soube o abraço ! outro também para ti Jorge. (faz falta por vezes né? ) 🙂

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s